Brainstorming: o que é, como fazer e principais técnicas

Brainstorming

Brainstorming é muito mais do que apenas outra palavra estrangeira que foi incorporada ao vocabulário nacional.

É difícil encontrar um sinônimo em português, uma vez que esse vocábulo já tem um significado próprio em nosso idioma.

Ainda assim, não é todo mundo que conhece o termo.

Especialmente aqueles que ainda não estão inseridos no universo corporativo podem ter mais dificuldades em compreendê-lo.

Mesmo os gestores, apesar de estarem familiarizados com a palavra, talvez não saibam como fazer um bom brainstorming ou desconhecem as técnicas mais eficazes para isso.

Seja qual for o seu caso, vale a pena conferir o conteúdo exclusivo que preparamos para você.

A partir de agora, você vai saber o que é brainstorming, para que serve, quando e como fazer.

Boa leitura!

brainstorming

Brainstorming: o que é?

Brainstorming deriva da palavra brainstorm, em inglês. Na sua divisão, temos o vocábulo brain, que significa cérebro, e storm, que quer dizer tempestade.

Logo, em uma tradução livre, poderíamos chamar o termo estrangeiro de “tempestade cerebral”, o que, convenhamos, não parece fazer muito sentido.

Mas, afinal, o que é brainstorming?

Muitas pessoas preferem a definição “chuva de ideias”, “tempestade de ideias” ou “debate de ideias”.

E do que se trata, exatamente?

Provavelmente, você já participou de uma reunião na qual alguém lança uma situação específica para o grande grupo.

Em seguida, de modo aleatório e sem qualquer tipo de censura, surgem propostas que podem virar possíveis soluções.

Então, quando algum pensamento parece um pouco mais razoável, ele começa a ser trabalhado em conjunto para atacar (ou resolver) o problema.

Repare bem: atacar o problema.

Essa foi a ideia do publicitário e empresário Alex Faickney Osborn ao propor o brainstorming.

Nem todo mundo sabe, mas a palavra storm também tem essa tradução. 

Ou seja, muito mais do que fazer surgir ideias – mirabolantes e pouco efetivas, às vezes – o principal objetivo do brainstorming é buscar uma saída colaborativa para algo que afeta a todos.

Principais características de um brainstorming

Depois de entender o conceito, vai dizer que você nunca participou de uma reunião de brainstorming?

Talvez não tenha sido esse o nome dado, mas o princípio pode ter sido o mesmo.

Para identificar uma “chuva de ideias”, preste atenção nas seguintes características, muito comuns em encontros dessa natureza:

  • Delimitação de um problema
  • Incentivo à participação e ao uso da criatividade
  • Ausência de hierarquias
  • Eliminação de bloqueios e críticas
  • Registro das ideias
  • Votação da ideia que parece mais promissora
  • Elaboração de estratégias em cima da ideia.

Para que serve um brainstorming?

Se duas cabeças pensam melhor do que uma, imagina o quão criativa pode ser a união de cinco, dez mentes ou até mais, desde que com organização?

Além disso, quando as decisões estão centradas apenas em um ou mais líderes, é comum que as ideias fiquem um pouco viciadas e repetitivas.

Afinal, dessa maneira, o problema é observado sob apenas uma ou poucas perspectivas, enquanto existem muitas outras a considerar.

Ao abrir esse leque, possibilitando que mais pessoas possam pensar em saídas alternativas, as chances de se conquistar resultados positivos são muito maiores.

Isso sem citar os outros inúmeros benefícios que o brainstorming pode trazer para o clima organizacional como um todo, sobre os quais vamos falar agora.

Benefícios do brainstorming

Por meio de um brainstorming, os líderes da empresa têm acesso a ideias criativas e arejadas, que podem resolver situações de uma maneira muito mais assertiva.

No entanto, há outras vantagens que a implementação de reuniões do tipo traz para a empresa.

Elas são tão importantes quanto a solução de problemas.

Vamos a elas:

  • Motivação e valorização da equipe
  • Descentralização da gestão
  • Incentivo ao desenvolvimento de novas lideranças
  • Aprimoramento da employer branding (reputação de uma empresa enquanto empregadora)
  • Surgimento de ideias fora da caixa
  • Fortalecimento da integração entre os colaboradores
  • Melhoria do clima organizacional
  • Consolidação de uma comunicação interna forte
  • Superação das adversidades
  • Progresso na relação entre líderes e equipe de colaboradores
  • Aumento da produtividade.

Sobre o primeiro item da lista, vale citar o estudo de David Henningsen e Mary Lynn Miller Henningsen, professores do Departamento de Comunicação da Northern Illinois University, nos Estados Unidos.

Ao examinarem 41 grupos de brainstorming, eles concluíram que o método fomenta a motivação e o trabalho em equipe.

“O brainstorming pode ser usado para ajudar uma equipe a comprar e implementar um plano de ação. Ou pode ser usado para simplesmente criar coesão, o que, por sua vez, pode diminuir a rotatividade de funcionários e aumentar o comprometimento dos funcionários”, disse David Henningsen.

Como fazer brainstorming passo a passo

Fazer brainstorming exige certa organização.

Não é só colocar uma equipe inteira dentro de uma sala e pedir que as pessoas saiam dando ideias sem qualquer critério.

Sim, há liberdade e ela é fundamental para dar certo, mas nada funciona sem uma mínima ordem.

Por isso, para ajudá-lo no preparo dessa reunião, fizemos um breve passo a passo que pode servir de modelo para a sua empresa.

Confira!

1. Preparação da reunião

O primeiro passo é explicar para os participantes como a reunião de brainstorming funciona.

Ao contrário do que muitas pessoas podem pensar, existem algumas regras nesse tipo de encontro que devem ser passadas logo no princípio.

Por exemplo, o organizador deve deixar bem claro que não serão aceitas piadinhas com as ideias dos outros, nem críticas sem fundamento.

Sugestões repetidas também devem ser evitadas, pois tempo é um recurso valioso no ambiente corporativo.

Essas orientações são úteis no sentido de desinibir a todos os que participam da atividade, bem como descentralizar a tomada de decisão.

Fora isso, cabe às lideranças contextualizar a situação que a empresa está vivendo para que as soluções sejam mais assertivas.

2. Exposição do problema ou objetivo

Como se faz isso?

Expondo de maneira rápida e breve o problema a ser combatido e o objetivo da adoção desse tipo de medida.

Assim, aos poucos, os colaboradores vão começar a conversar entre eles.

Por estarem mais presentes na rotina produtiva da companhia, verão a realidade sob outra perspectiva, tendo mais chances de sair com uma grande sacada.

3. Identificação de causas

O brainstorming faz parte de um grande processo.

Muitas vezes, antes de pensarmos nas soluções para os problemas, precisamos identificar as causas.

Ou seja, os porquês de determinadas situações insistirem em aparecer.

Você já viu alguma pessoa conquistando um resultado diferente fazendo exatamente as mesmas coisas? Certamente, não.

O mesmo raciocínio vale para as empresas.

Se deseja atingir objetivos mais ousados, precisa mudar a sua postura, e isso começa com um entendimento pleno do que está sendo feito de errado até o momento.

4. Sugestão de soluções do problema

Feito esse diagnóstico, fica mais fácil começar a pensar nas soluções do problema.

O objetivo é deixar a imaginação dos colaboradores rolar solta.

Procure não impedir a linha de raciocínio de ninguém para que nenhuma ideia se perca no meio do caminho.

O ideal é ir anotando todos os posicionamentos que forem surgindo. Se não for o diretor ou gerente presente no encontro, deve ser alguém a quem ele delegue a tarefa.

Dessa forma, é possível retomar as pautas nos momentos adequados.

É óbvio que, ao oferecer uma liberdade tão grande assim, nem todas as contribuições vão ser aproveitadas.

E não há problema nisso.

O importante é que todos se sintam confortáveis em expor seus pontos de vista e tentar ajudar à sua maneira.

5. Debate sobre as ideias

À medida que as ideias forem diminuindo, o organizador deve pegar o papel no qual escreveu todas as sugestões e retomar uma a uma.

Para valorizar ainda mais o profissional que teve a sacada, é válido conceder o crédito para quem deu a ideia.

O líder pode pedir, inclusive, que essa pessoa desenvolva mais o seu pensamento, a fim de que os demais possam compreender melhor a iniciativa e debatê-la.

Isso deve ser feito com todas as contribuições, de forma que, em conjunto, defina-se qual ou quais soluções parecem ter maior potencial para dar certo.

Caso sobre mais de uma, é recomendado fazer uma votação para escolher aquela considerada como a melhor de todas.

6. Proposição de plano de ação

Tudo é muito bonito quando ainda está somente na base da imaginação.

Mas não termine o brainstorming sem trazer as ideias à realidade.

É preciso, agora, colocar tudo no papel e propor um plano de ação.

Afinal, o que e como vai ser feito o que foi definido no brainstorming?

Uma boa saída tem que se mostrar factível e de implementação não tão complicada.

Agora, é o momento em que a tempestade de ideias dá lugar à chuva de racionalidade.

É hora de colocar o planejamento estratégico em prática.

Brainstorming

8 técnicas de brainstorming

O modelo que trouxemos acima é bastante básico, se aplica a todas as situações e portes de empresa, mas não fala muito sobre as diferentes técnicas de brainstorming.

Essas são condutas que ajudam as ideias a surgirem em profusão tal qual o milho se transformando em pipoca dentro do micro-ondas.

Quer um empurrãozinho na hora de estimular a participação de todos?

Então, conheça oito técnicas de brainstorming para se inspirar e utilizar em suas reuniões!

1. Efeito Medici

Às vezes, as soluções podem surgir de onde você menos espera, e é sobre isso que trata o Efeito Medici.

Ou seja, como duas áreas aparentemente sem qualquer tipo de ligação podem se conectar.

Por exemplo, você pode encontrar saídas para os seus problemas observando filmes ou lendo reportagens em revistas.

Cases de sucesso de empresas, mesmo que de outros segmentos, podem servir de inspiração também para a sua companhia.

2. Análise SWOT

Observar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças é o que prevê a análise SWOT (do inglês Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats) – também uma ótima técnica de brainstorming.

Pois, antes de se pensar em soluções propriamente ditas, é preciso entender bem a situação momentânea da companhia.

Afinal, quais fatores hoje favorecem ou ameaçam a empresa na busca por seus objetivos, tanto internos quanto externos? A SWOT ajuda a descobrir.

Em outras palavras, isso se chama autoconhecimento.

Aí, sim, com um diagnóstico bem-feito, é possível abrir a cabeça e ter ideias inovadoras.

3. Método do gatilho

É uma das técnicas mais conhecidas e que, de alguma forma, já explicamos no nosso passo a passo.

O método consiste em usar pensamentos embrionários como gatilhos para ideias um pouco mais elaboradas e factíveis.

Na prática, funciona assim: as pessoas, livremente, vão expondo suas ideias e, depois, a partir de um filtro, as melhores propostas começam a ser discutidas com maior profundidade.

Ao fim, chega-se a uma solução madura e estruturada que contente a todos e solucione o problema inicialmente apresentado.

4. Teletransporte

É incrível o poder da nossa mente.

Se estimulada, ela pode apresentar resultados impressionantes, nem que, para isso, precisemos fugir momentaneamente da realidade.

Com a técnica do teletransporte, você imagina como resolveria o problema que está enfrentando na empresa se estivesse submetido a um cenário completamente diferente.

Uma organização diferente, em outro país ou em um universo paralelo.

Parece loucura, mas a nossa imaginação pode trazer respostas geniais.

5. De volta ao passado

Qual seria a solução para esse mesmo problema há 10 anos, com as ferramentas disponíveis naquela época?

Voltar ao passado nos ajuda a refletir como, em condições muito mais precárias, com tecnologia e recursos bastante inferiores, ainda assim, os profissionais tinham belas sacadas.

Esse banho de água fria pode ser muito útil para que tenhamos ideias mais inovadoras e soluções mais personalizadas, dependendo mais da nossa criatividade do que de aparatos tecnológicos.

6. Técnica da empatia

E se, em vez de viajar para outro lugar ou voltar no tempo, você simplesmente se colocasse no lugar no outro?

É disso que se trata da empatia, também uma valiosa técnica para vermos a realidade sob uma perspectiva diferente.

Na verdade, esse é um dos grandes motivos que levam uma pessoa a realizar um brainstorming.

Cansado das mesmas soluções, a abertura para a participação dos outros possibilita uma pluralidade maior de pontos de vista, o que é extremamente benéfico para qualquer organização.

7. Desafio

Nesta técnica, a ordem é questionar.

Desafie absolutamente tudo o que a situação atual apresenta para você.

Mesmo aqueles elementos que parecem lógicos e óbvios merecem ser colocados em dúvida.

Dessa forma, é possível avaliar todos os cenários possíveis e ver qual deles representa, de fato, a melhor saída para o momento.

8. Ideias livres

Dê asas para a sua imaginação e não permita que ninguém as corte, pelo menos em um primeiro momento.

É isso que prevê a técnica das ideias livres: uma abertura irrestrita às contribuições alheias.

Assim, naturalmente, as grandes sacadas vão surgindo e os apontamentos de um e de outro colaborador podem complementar a solução principal.

E aí, gostou das técnicas?

Agora, é só deixar o seu jeito mais centralizador de lado e colocar logo esses modelos em prática.

Brainstorming

Conclusão

Não é por que você é uma liderança importante dentro da sua empresa que precisa centralizar todas as decisões importantes.

Aprender a dividir e a compartilhar responsabilidades e poderes também são atribuições de um bom gestor.

E, como vimos neste artigo, apostar no brainstorming pode trazer benefícios organizacionais incríveis a todos.

No entanto, se você deseja se tornar uma liderança ainda melhor, precisa investir em capacitação e desenvolvimento.

Uma boa pedida nesse sentido é o curso de Formação de Líderes da Associação Internacional de Educação Continuada – AIEC, a única instituição do país com ensino a distância e certificação internacional ISO 9001.

Conte com a praticidade de estudar onde e quando quiser sem abrir mão da qualidade de ensino e faça logo sua inscrição!

Gostou do nosso artigo sobre brainstorming?

Então, compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais.

E não se esqueça de deixar um comentário no espaço logo abaixo sobre o que acabou de ler.

Até a próxima!


Conheça agora o novo sistema de ensino-aprendizagem que utiliza aulas invertidas e mapas conceituais!

1ª Aula Grátis

Formação de Líderes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *